segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Atividade Paranormal 3

Lá vai mais uma crítica construtiva (ou não). 
Eu não costumo ser exigente com roteiros de filmes. Me encanto fácil com as produções e é muito raro o dia que eu chegar e disser: “Não gostei desse filme”. Quando é terror isso realmente nunca acontece, por mais tosco que seja seu final. Encanta-me qualquer filme de terror que relata experiências com espíritos (bons ou maus).  Eu sempre acabo levando para mim algum ensinamento (sim, nos filmes de terror é possível obter ensinamentos).
Quando a história é boa acabo ficando com o filme na cabeça por semanas e nunca me esqueço, e aí é onde começo a pensar nas críticas, e no que o filme poderia ter melhor oferecido.

Com Atividade Paranormal 3 não foi diferente. Sou fã assídua desta franquia, e acabei assistindo até o Spin-Off feito em Tóquio (que é uma história um tanto perdida com a “realidade” que a verdadeira franquia oferece). Por ser fã, sempre defendi a liberdade que temos de criticar e elogiar uma produção. Afinal, somos nós que fazemos o sucesso ou o fracasso nas bilheterias.
Novamente fico por conta de elogiar o trabalho dos atores com sua naturalidade ao fazer os filmes desta franquia. Em especial à garotinha que interpreta Kristi (Jessica Tyler Brown).

Embora eu defenda a história, ainda acho que ficam lacunas que nos deixam incontentes com o desfecho do filme. Lá vai, não me responsabilizo pelos Spoilers lidos. Caso não tenha assistido o filme e tenha interesse de assistir, sugiro que pare de ler aqui:
ü  Em Atividade Paranormal 1, Katie diz se lembrar de situações onde ela e sua irmã Kristi viam um Homem (o suposto demônio) em seu quarto. As duas sempre choravam deseperadas quando ele aparecida assombrando suas noites. Porém e Atividade Paranormal 3, ela não o vê (enxerga). Somente Kristi o vê e conversa com ele como se ele não fosse nenhum monstro, e sim um amigo imaginário.

ü  Novamente em Atividade Paranormal 1, quando Micah encontra a foto queimada da pequena Katie no sóton, a moça acaba ligando para o pai para perguntar se após o incendio em sua casa, sobrou alguma foto ou algum objeto, mas na terceira franquia, as garotinhas não tem pai, e sim um padrasto que acaba de adentrar à família, e hora nenhuma é mencionado o que aconteceu ao pai delas e se é separado ou morto. (Spoiler a frente, pule o parágrafo se não quiser sabe o final do filme 3). Isso fica mais confuso ainda pois o padrasto acaba morrendo ao final de Atividade Paranormal 3, ou seja, mesmo se elas o considerasse como pai, ficaria meio difícil de Katie ligar para ele depois de adulta, né?!

ü  Na primeira versão é explicado que o incendio foi horroroso, e que não houve nenhuma explicativa para o ocorrido na casa das garotinhas. No Trailer de Atividade Paranormal 3 o incendio é visto, porém no filme, ele não acontece.

ü  Aliás, nao somente essa cena, como várias outras mostradas no Trailer não aparecem no filme nesta terceira sequencia. Eu havia notado que também aconteceu de “sumir” as cenas em Atividade Paranormal 2. Isso é um tanto injusto e para mim uma Propagando Enganosa.


Cadê esta cena, onde ela está no filme???

 

ü  Em especial a cena da “Bloody Mary”, que no trailer parecia bem mais real do que a que realmente ocorreu no filme, protagonizado pela pequena Katie e pelo Randy (amigo do Padrasto). Aliás, a famosa Bloody Mary que aparece em reflexo no espelho no trailer da terceira sequencia se parece muito com a imagem fantasmagórica que surge na porta do banheiro do quarto do bebê (também no trailer) de Atividade Paranormal 2. Aliás nesta segunda sequencia, também não consta esta imagem. O mesmo acontece com a cena em que o bebê é visto engatinhando na rua. Cade essa cena no filme??????


ü  Outra coisa que não posso deixar de comentar, que poucas pessoas sabem, é que Atividade Paranormal 1 possui 2 finais. O primeiro já bem conhecido que foi divulgado nos cinemas, a qual Katie mata Micah e depois o joga contra a câmera e some no mundo. A segunda, na qual depois de matar Micah, Katie volta ao quarto e se senta no chão e fica se batendo na cama, a filmagem continua até que a polícia chega e mata a pobrezinha possuída. Acredito que a segunda versão tenha sido feita para o caso de não haver continuação, e não sei qual critério usaram para terminar a primeira versão do filme.

ü  O que não entendi também na terceira sequencia, é porque as câmeras que possuiam Fitas Cassetes com apenas 6 horas de duração (típicas de 1988), ficavam filmando a toa durante o dia. Afinal a preocupação não era com o que acontecia durante a noite? Se as fitas eram limitadas, o natural é que elas filmassem apenas o necessário e no período necessário não? Isso ficou pouco convincente afinal, a casa não tinha um sistema de circuito de filmagem, como na segunda sequencia.

Enfim, são erros de continuidades típicos de filmes que não possuem os mesmos diretores durante todas as sequencias. Porém, é necessário que tenha tal atenção com esses acontecimentos, afinal fã que é fã liga todos os fatos das sequencias.
Confesso que a cena que mais me aterrorizou, foi à cena com a coitada da Baby Siter, aquele lençol realmente me deixou de cabelo em pé, embora seja um efeito bem simples de ser feito.
Outra cena foi em que a pequena Kristi se joga do parapeito do quarto à sala de estar, e nada lhe acontece. Eu até achava engraçado quando a pequena Katie acordava e via Kristi agitada, e acabava dando-lhe bronca por estar acordada brincando às 4 da manhã.
A cena em que Katie é puxada pelo cabelo também foi demais. Além do acontecimento durante a madrugada onde as coisas começam a ser arremessadas no quarto das meninas. E novamente a pobre Katie é puxada pelos pés. Aliás, esse demonio gosta de puxar as mulheres pelos pés, não?
Não gostei também, de como o Dennis (Padrasto) toma a patida para contar o que está acontecendo na casa à Julie (mãe das meninas). Ele começa a contar pelas partes em que ele pesquisou (via livros, já que não existia Google aquela época). Ele já sugeriu de cara que a família dela havia feito Macumba há anos atrás e que prometiam os filhos em troca da Macumba bem sucedida. Cara, ele tinha que ter começado pelas filmagens, principalmente a cena do lençol com a coitada da Babá (rsrsrsrs). E depois com a cena da Bloody Mary, protagonizadas pelo amigo Randy e a pequena Katie. Mas não, sempre na história tem que ter alguém que duvida dos acontecimentos. Se a camera estava ali filmando tudo, mesmo que eu não acreditasse no que minhas filhas e namorado dissessem, eu pararia para assistir. Afinal eu iria adorar comprovar que eu estava certa. Mas não. Mesmo com o relato das filhas, a mãe cabeça dura não acredita e nem quer comprovar se é real ou não.
O pior foi depois de tudo o que ele e as meninas estavam dizendo à Julie e ela mesmo assim não acreditar, com um simples acontecimento na cozinha (onde panelas e tudo mais foram jogadas) ela já decidir sair de casa e ir para o ninho de monstros (no caso, a casa da Avó das meninas). Afinal tudo resolveu acontecer na primeira noite deles lá, e já desenrolar com a morte da mãe e do padrasto das meninas. Não gostei!
Em nenhuma das sequencias foi explicado por quem as garotinhas foram criadas, e se a mãe realmente havia morrido. Achei bem vaga essas informações. Principalmente no começo, onde parece iniciar com a gravidez de Kristi do garotinho, e ela ganha caixas com fitas cassetes da irmã Katie. Esse povo não tem curiosidade? Você ganha umas 3 caixas de fitas VHS (em 2005 ainda existiam Video-Cassetes, na minha casa tem até hoje) e não tem um pingo de vontade de assistir?
As fitas ficaram por mais de 1 ano trancadas no porão, sem nunca terem sido assistidas, até que foram “roubadas” na segunda sequencia. Acharia bem mais interessante, se aparecesse afinal quem estava assistindo essas fitas para que os filmes existissem. Mas elas simplesmente começam a rodar do nada! Eu hein!!!
Enfim, amo o conteúdo dos filmes mesmo faltando algo mais!!!
Devo deixar aqui meu registro de como as atrizes se parecem, a mãe Julie e as filhas já adultas Kate e Kristin (Lauren Bittner, Kate Featherston e Sprague Grayden), até parecem irmãs trigêmeas . Parabéns a produção do filme que selecionou as atrizes. Nas próximas sequencias, eu colocaria também as atrizes Zooey Deschanel e Emily Blunt, e olha que até rola uma particpaçãozinha de Katy Parry (#identicas).

Bjs da Mandy ^_^

Nenhum comentário:

Postar um comentário