quinta-feira, 9 de julho de 2015

Hopi Hari... amo!


 Há mais ou menos duas semanas, ganhei um passaporte duplo para ir ao Hopi Hari... eu tinha que escolher entre dois dias pré-disponibilizados e pronto... ir! (Obrigada Americanas.com)
Escolhi dia 02/07/2015, aproveitei as férias do marido, pedi folga,  pegamos nosso carango... e partimos.
Pura emoção, afinal viajar é sempre bom. Sempre reclamo que moro longe de tudo, mas há um lado bom nisso... Sempre ter que viajar para chegar a algum lugar!
A última vez que fui ao Hopi Hari, eu tinha entre 15 ou 16 anos... mais precisamente em 2002, ano que o Hopi Hari ainda bombava! Fui de excursão com alguns amigos, num domingo de dia dos
Pais, então imagina só... tava lotaaaaaaaaaado, e perdia de 1 a 2 horas em filas dos brinquedos, e mesmo assim posso dizer que aproveitei tudo. De La Tour Eiffel, até o Rio Bravo... De Montezum a Barco Viking (esqueci o nome dele em Hopês)... tudo funcionava perfeitamente. Era topíssimo ir ao Hopi Hari.
Assustei imensamente quando cheguei lá no último dia 02/07. Estava extremamente V.A.Z.I.O, fiquei sem entender, pois mesmo por ser uma quinta-feira, estamos em época de férias, e não havia mais do que 300 pessoas no parque (posso estar errada, afinal ele é imenso). 


Quando passamos pelo Imigradeiro, tive a sensação de estar em uma cidade fantasma, haviam as  músicas das cidades típicas, algumas pessoas nas ruas, e os lugares de comer todos abertos... mas os brinquedos... MUITOS FECHADOS. Pontos fortíssimos do parque fechado, como por exemplo a Roda Gigante, que é maravilhosa. Não questionei o fechamento da Torre, afinal, depois da morte ocorrida em 2012, mesmo se a danada estivesse funcionando, eu não entraria na fila. Ao passar por ela, senti arrepios mórbidos, não sou médium, longe disso... mas senti profundamente que ela acabou! Minhas lembranças, de ver filas quilométricas de pessoas esperando sua vez, de cair de uma exorbitante altura por 3 segundos, são fortes ainda, e a sensação da caída... nossa... nunca vou me esquecer... Triste demais ver o fim dela. Os demais brinquedos inoperantes há muito tempo como o Evolutinon, Rio Bravo, Ekatomb, entre outros, chega a ser mais triste ainda.  Aproveitamos pra valer mesmo apenas a Montezum, fodástica 5º maior Montanha Russa do
Mundo, e a Maior da América Latina... e fomos inúmeras vezes ao Vurang, conhecida como a Montanha Russa no escuro, que confesso nunca tinha ido. Ah, sem esquecer que pagamos a parte para entrar no Katakumb, que nos decepcionou muito... 
Não sei qual será o fim do Hopi Hari, ou para onde ele está seguindo... mas indo dessa vez, depois de adulta, nos meus quase 30 anos, percebi que lá é um lugar que amo muito e que merece profundamente ser reerguido e voltar a ser o auge dos encontros de pessoas de todo nosso país e de todas as idades. 




Apesar de tudo, acho que o Hopi Hari é um grande centro de visitação, lindo de se ver e de se estar e merece sim ser conhecido e quem sabe reconhecido internacionalmente.
Abaixo, deixo mais fotos!! ;)








Um dos "novos lugares" adicionado na cidade Aribabiba, na minha opinião, essa tal Liga da Justiça, estragou a cidade que era demais com seus costumes mexicanos.



Uma agradável fonte que divide Aribabiba e a Infantasia

Acho que esse é algo como um Bungee Jump e estava FECHADO!

Mais um ponto Fechado, este é da cidade Wild West, que aliás, estava bem abandonada. Levaram a sério, deixar a cidade com ar de faroeste.

O Rio Bravo desativado, triste demais ver isso.

Evolution, também na Wild West, fechado ou desativado.

Entrada do Rio Bravo, desativada!

Wild West é uma das minhas cidades preferidas. Meu marido descansando.


Uma das ruas de Wild West.

Katakumb linda à noite... a cidade Mistieri é uma das mais lindas do Hopi Hari.


Montezum à noite... linda de ver também.


Uma das ruas principais de entrada do Hopi Hari à noite.

A iluminação linda e sombria da La Tour Eiffel.

Espero que tenham gostado!
Beijos...



Nenhum comentário:

Postar um comentário